Por que escrevo?

Há alguns anos essa vontade de falar pelos dedos tem crescido como um tsunami: gigante e incontrolável força da natureza. Mas ao contrário da catástrofe marinha, a escrita (e a leitura também) só traz benefícios: desde uma expansão intelectual até amizades incríveis. Escrever tem sido minha nova razão de viver.

Escrevo por que preciso me fazer presente, me comunicar com o mundo e mais ainda comigo mesmo. A leitura é como uma estrada e com a escrita vou desenhando paisagens no caminho. Um caminho sem volta pro interior de mim e de tudo mais que existe. Um labirinto inverso onde encontro meu “eu” a cada passo que dou.

Escrevo por que preciso contribuir com os esclarecimentos da vida, sair da escuridão da indiferença. Mesmo não sabendo as respostas, eu tenho milhões de perguntas; tantas quantas estrelas há no céu.

Escrevo por que preciso de vez em sempre fugir da realidade e flutuar entre o real e a fantasia. As palavras me ajudam a entender o que eu quero e me dão a escolha de não aceitar o mundo como me oferecem. Elas me fazem idealizar e dar vida ao meu mundo.

Escrevo por que sonho e sonhos são para se realizar, mesmo que apenas no papel; e uma vez no papel, outras pessoas podem sonhar comigo e um sonho que se sonha junto tem mais “vida”.

Escrevo por que preciso transbordar-me em choros e sorrisos, temores e amores que se acumulam dentro de mim. Antes que eu exploda, vou bombardeando o mundo com um arsenal de epifanias e devaneios; e mesmo que só eu sinta o efeito dessas granadas, estarei em paz.

E o fantástico rio chamado tempo não para de correr, e, eu no meu barco chamado vida sigo em frente. Palavras são remos e é com elas que acho minha direção. Aprumo minha vela e olhando para o horizonte só aporto onde posso pescar sonhos, por que é disso que o ser humano vive: SONHOS.

Escrevo por que isso é uma força da natureza, da minha natureza.

Anúncios

4 comentários

  1. natihennemann · setembro 17, 2015

    AMEI! “Vontade de falar pelos dedos” foi genial!!!!!!!!!!
    “Escrevo por que preciso me fazer presente”, que necessidade humana profunda, né? Sentir que está AQUI e AGORA. Cada um busca de um jeito: escrita, meditação, dança, esportes radicais… 🙂
    “Um caminho sem volta pro interior de mim e de tudo mais que existe. Um labirinto inverso onde encontro meu “eu” a cada passo que dou.” Afe, morri, que lindeza!!!
    Lindíssimo texto, arrisco dizer que é um dos seus melhores! 😀
    Beijoooo!
    Nati

    Curtido por 1 pessoa

  2. giovanni Sales · setembro 17, 2015

    Obrigado, Nati! 😉 Acho que consegui passar o significado da escrita pra mim.
    Uma necessidade como ser humano! 🙂
    Bjos!!!! 😀

    Curtir

  3. Claudine Bernardes · setembro 18, 2015

    Que palavras profundas! E digo “profundas” porque realmente elas aprofundaram-se em mim. Mergulharam no meu interior e se misturaram com o que eu sento. Giovanni, também sinto a mesma necessidade de escrever. É um transbordar de sentimentos em forma de palavras, que se contido explode. E como eu não quero explodir, escrevo. Amei e estarei te seguindo e se me permites, gostaria de reblogar o teu texto. Até breve!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s